Castanha do Parácastanha de caju, nozes, amêndoas, amendoim, pistache, macadâmia, semente de abóbora, gergelim, linhaça e entre outras são classificadas como oleaginosas, que são vegetais como frutos secos e sementes, ricos em gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas, fonte de fibras e ricas em zinco, cobre, entre outros minerais importantíssimos para nossa saúde.

Mas rico em gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas, isso faz mal para a saúde? Calma! Essas são conhecidas como gorduras boas e devem estar presentes na nossa alimentação. As gorduras insaturadas são as conhecidas como “gorduras do bem”, são importantes para a absorção de vitaminas lipossolúveis, como a A, D, E e K. Quando falamos em gorduras poli-insaturadas, essas ofertam os ômegas 3 e 6, superimportantes para a prevenção e combate de doenças cardiovasculares, melhora da pressão arterial, possuem ação anti-inflamatória, contribuem na redução do envelhecimento e até mesmo na prevenção do câncer. Já as monoinsaturadas atuam na redução dos níveis de colesterol sanguíneo.

Sendo assim, o seu consumo é liberado e a vontade? Também não! Quando falamos em nutrição, sempre temos que avaliar o equilíbrio. Em geral, basta consumir um punhado ao dia, cerca de 30g ao dia para que tenha todos os benefícios dessas sementes e sem excessos. Por que as consumir?

Fonte de Antioxidantes

As oleaginosas possuem fitoesteroides, que são antioxidantes poderosos, que atuam na proteção do envelhecimento das células, reduzindo a produção de radicais livres, desta forma, há prevenção de doenças degenerativas, como o câncer, obesidade, hipertensão, diabetes, entre outras.

Atuam no emagrecimento

Adicioná-las em lanches intermediários, em iogurtes, saladas e/ou frutas desidratadas, aumenta a oferta de fibras e gorduras boas, podendo ajudar na redução da compulsão alimentar, por aumentar a saciedade, reduzindo a fome. Mas lembre-se de não exceder seu consumo recomendado, elas são calóricas.

Protegem o coração

Por serem ricas em gorduras do bem, ajudam a limpar as artérias e prevenir o colesterol ruim (LDL) e no aumento do bom colesterol (HDL). Seu consumo em quantidades balanceadas ajuda na prevenção de doenças cardiovasculares, hipertensão, AVC e infartos.

Saúde Cognitiva

Por conter Ômega 3 e 6, que são ácidos graxos insaturadas, as oleaginosas contribuem para um cérebro mais saudável, melhora a aprendizagem, memória e concentração, além de prevenir doenças como Parkinson e Alzheimer.

Hoje podemos encontrá-las em várias apresentações, como em sementes in natura ou assadas, como ingredientes em granolas doces e salgadas, barra ou como pastas de nuts ou pasta de amendoim, entre outros. Aposte em opções sem adição de sal ou temperos industrializados, sem adição de outros ingredientes, conservadores e aromatizadores. As oleaginosas são bem-vindas em diversos momentos do dia, como em lanches intermediários ou junto das principais refeições, adicionando-as em iogurtes, frutas ou saladas de frutas, farofas, saladas, arroz, entre outros.

Referências:

Priscila Gomes

Priscila Gomes é nutricionista registrada (CRN-3 29036) Graduada pelo Universidade Paulista. Atua na área de marketing nutricional e funcional na rede Mundo Verde, onde realiza treinamentos de capacitação para equipe de campo nos diferentes estados do Brasil, além do suporte nutricional atrelado a equipe de marketing da empresa.

Deixe uma resposta