O consumo de alimentos (carboidratos e proteínas) ou suplementos, após a atividade física, é sempre uma dúvida recorrente diante do assunto, mas a resposta para esta pergunta, pode ser bastante ampla, pois devemos considerar alguns fatores, como o tipo de atividade física, tempo de duração, objetivo a ser atingido, assim como a digestão de cada indivíduo após o consumo de alimentos.

Quando se fala em hipertrofia, que é o ganho de massa muscular, é normal as pessoas associarem o consumo de proteínas. Mas será que é só esse macronutriente que importa? A resposta é não! Afinal quem deve fornecer energia ao corpo e quem potencializa a performance física é o carboidrato.

Quando realizamos exercícios intensos, utilizamos os estoques de carboidrato intramuscular, chamados de glicogênio, esses são armazenados nos músculos e utilizados como fonte de energia durante o exercício. O consumo de carboidratos no pós treino é essencial para reabastecer os estoques e a fim de evitar a perda da massa muscular, denominado como catabolismo. Ou seja, quem está fazendo musculação, por exemplo, com o objetivo de ganhar massa muscular, deve ter um consumo adequado de carboidratos. 

Outro ponto, exercícios de musculação, criam pequenas lesões musculares e para essa “cicatrização” demandam um maior consumo de proteínas para reparação. E esse processo ocorre enquanto descansamos, o corpo continua trabalhando para reabastecer os estoques de glicogênio e reparando essas fibras musculares. Por isso a alimentação pós treino é superimportante.

Mas de nada adianta consumir proteínas somente no pós treino ou tampouco fazer o consumo em excesso após o exercício. No corpo não há estoques de proteínas, desta forma, o seu consumo deve ocorrer em porções adequadas e distribuídas em todas as refeições, ao longo do dia.

Todos os nutrientes são importantes para nosso corpo. Os macronutrientes são as proteínas, carboidratos e as boas gorduras e esses devem fazer parte de uma dieta equilibrada e saudável, consumida ao longo do dia e que mantém o corpo em funcionamento com desempenho máximo. Já os micronutrientes, são as vitaminas e minerais, essenciais para manter o sistema imunológico, a função cerebral, o metabolismo e são encontrados nas frutas, vegetais, cereais integrais, leguminosas e oleaginosas.

E manter uma alimentação adequada no pós treino será fundamental para restaurar o estoque energético do corpo (estoque de glicogênio), evitar o catabolismo muscular (perda de massa muscular), aumentar a síntese proteica (ganho de massa muscular), acelerar a recuperação do corpo e repor os nutrientes utilizados durante o treino.

O que consumir no pós treino? Vale associar o consumo de bons carboidratos e proteínas, como:

– Batata doce + carne

– Mandioca + ovo;

– Quinoa + frango;

– Frutas + iogurte natural sem açúcar;

– Pães integrais + peixes.

Assim como o consumo de boas gorduras, essas podem fornecer nutrientes importantes para o processo de recuperação, como o óleo de peixe, óleo de abacate, azeite de oliva extra virgem, fontes importantes ácidos graxos.

Claro que não existe uma receita pronta e igual para todos executarem no pós-treino, pois depende de diversas individualidades e da resposta do organismo de cada um. Vale ressaltar ainda, que é recomendado procurar um profissional nutricionista para uma orientação personalizada de acordo as necessidades nutricionais individuais.

Conheça os benefícios do Whey Protein em um dos episódios do Nutricionês para o Português

Referências:

https://repositorio.ufpe.br/bitstream/123456789/18180/4/LIMA%2C%20Jasiedy%20da%20Silva.pdfhttps://editorarealize.com.br/artigo/visualizar/41175

Priscila Gomes

Priscila Gomes é nutricionista registrada (CRN-3 29036) Graduada pelo Universidade Paulista. Atua na área de marketing nutricional e funcional na rede Mundo Verde, onde realiza treinamentos de capacitação para equipe de campo nos diferentes estados do Brasil, além do suporte nutricional atrelado a equipe de marketing da empresa.

Deixe uma resposta