Ação apoia a exclusão da proteína animal uma vez na semana

A Segunda Sem Carne ou Meatless Monday surgiu em 2003, nos Estados Unidos, e se espalhou por mais de 40 países. A iniciativa defende a troca da proteína animal pela proteína vegetal às segundas-feiras. A ideia é que a ação seja implementada pelo poder público, diminuindo a demanda coletiva por produtos de origem animal e gerando benefícios para a saúde das pessoas, para o meio ambiente e para os animais.

No Brasil, segundo a Sociedade Vegetariana Brasileira, a ação foi criada em 2009, e tem ganhado cada vez mais adeptos. Segundo o Dr. Fernando Cerqueira, médico nutrólogo, a proposta “modifica os hábitos alimentares tendo como essência a diminuição da morte de animais. Não é uma questão de moda, mas sim de conscientizar que podemos diminuir as mortes de animais em todo o mundo”, defende o médico.

Impactos da Segunda Sem Carne

Não consumir carne 1 vez na semana traz impactos positivos para a saúde, para o meio ambiente e para os animais. Confira alguns destacados pela nutricionista Priscila Gomes, do Mundo Verde:

– Diminui cerca de 70 bilhões de animais terrestres abatidos por ano no mundo;

– Uma alimentação variada e com consumo adequado de vegetais, favorece a prevenção de doenças crônicas e degenerativas como doenças cardiovasculares, hipertensão arterial, obesidade, diversos tipos de câncer e diabetes;

– Em 2011, as escolas Municipais da cidade de São Paulo adotaram a Segunda Sem Carne e passaram a servir refeições exclusivamente sem carne todas as segundas-feiras. Em um mês, 53 milhões de m² de terra foram poupados, 6 bilhões de litros de água economizados, 16 mil toneladas de grãos (soja) deixaram de ser produzidos para consumo na pecuária, 29 mil toneladas de CO2 deixaram de ser emitidos na atmosfera, contribuindo na redução do efeito estufa. Com isso 104 toneladas de carne não foram consumidas em 1 mês.

– Com a restrição de todos os alimentos de origem animal, em apenas um dia foram economizados, em média, 3,4 litros de água.

 

Ideias de substituição

 

Boa notícia para quem deseja aderir à campanha Segunda Sem Carne: existem diversos substitutos para consumo de alimentos de origem animal. A nutricionista destaca que vários alimentos possuem proteínas e ferro, comumente encontrados naqueles de origem animal.

 

“O que é desconhecido na população leiga é que podemos ter uma alimentação equilibrada, rica em proteínas, vitaminas e minerais somente combinando leguminosas e cereais integrais, incluindo frutas, verduras e legumes diariamente nas refeições”, afirma Priscila. Confira sugestões de alguns destes alimentos:

 

– Cogumelos (Shimeji, Shitake, Champignon, Funghi, Portobello, Enokitake);

– Proteína texturizada de soja;

– Grão de bico, lentilha, ervilha, feijões (carioca, preto, mulatinho, branco, azuki, entre outros);

– Folhosos verdes escuros (couve, espinafre, almeirão, entre outros),

– Sementes de quinoa, chia, amaranto, etc.;

– Outros alimentos, como tofu, oleaginosas, spirulina e chlorella.

 

Vale lembrar que cada dia mais cresce a adesão ao vegetarianismo na população brasileira. Segundo pesquisa recente do Ibope, no Brasil 14% das pessoas se declaram vegetariana (quase 30 milhões de brasileiros), crescimento de 75% desde 2012. Nas regiões metropolitanas de São Paulo, Curitiba, Recife e Rio de Janeiro este percentual sobe para 16%.

Por Fernanda Lima.