De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), climatério é uma fase biológica e não patológica, que corre entre os 35 e os 65 anos de idade e se caracteriza pela progressiva redução da produção de hormônios ovarianos, particularmente do estrogênio e da progesterona, resultando em significativas alterações físicas e psíquicas que afetam a qualidade de vida da mulher.
Em sequência ocorre a menopausa, entre os 45 e os 55 anos de idade, onde há quedas de hormônios de maneira mais significativas, causando sintomas como ondas de calor, períodos irregulares, alterações de humor, de sono, entre outros.
A ingestão de vitaminas, minerais e outros nutrientes são fundamentais para manter o funcionamento celular do nosso corpo de maneira adequada. Como neste período o metabolismo celular é afetado, os suplementos podem ser bem-vindos a fim de complementar a dieta e aumentar a ingestão de nutrientes essenciais que podem estar em baixa no organismo. Além disso, alguns suplementos podem contribuir na redução desses sintomas e melhorar a qualidade de vida da mulher.

Cálcio

Mulheres menopausadas tem risco aumentado de desenvolver osteoporose, desta forma, o consumo adequado de cálcio ao longo da vida pode contribuir na prevenção de doenças ósseas. Caso não seja possível suprir a recomendação diária através da alimentação é indicado o uso de suplemento de cálcio, associado as vitaminas K, D e minerais como fosforo, zinco e magnésio.

Fitoestrogénos

Os fitoestrógenos são um grupo de substâncias encontradas em plantas, em especial as isoflavonas, que estão presentes em abundância na soja e subprodutos da soja, como tofu, lecitina de soja, farinha de soja, entre outros. Esses compostos contribuem na redução dos sintomas, devido à similaridade da estrutura química das isoflavonas com o hormônio estrógeno.

A Maca Peruana pode ser também uma aliada nesse período. Um tubérculo considerado superfood, pois possui alto valor nutricional, atua como adaptógeno no corpo, equilibrando níveis hormonais, reduzindo os sintomas da menopausa.

Prímula

Extraído das sementes da planta Oenothera biennis, o óleo de prímula é rico em ômega-6, que possui propriedades anti-inflamatórias, sendo associado à redução de sintomas da menopausa, como inchaço, fogachos (calorões), alterações de humor e dores nas mamas. Estudos sugerem benefícios também nos sintomas psicológicos, como ansiedade, estresse e irritabilidade, presentes em mulher menopausadas.

Ômega 3

Ácidos graxos essenciais, fontes de EPA e DHA, o ômega 3 é superimportante para prevenção de doenças do coração, atuando na redução dos níveis de colesterol, triglicerídeos e da pressão arterial. Contribui na saúde do cérebro, melhorando a memória, concentração e foco. Diversos estudos relacionam também como um aliado para a prevenção do Alzheimer. 

Manter uma alimentação balanceada e adequada é fundamental, priorizando alimentos como as verduras, legumes e frutas, preferencialmente orgânicos, e o consumo de cereais integrais. O consumo de água deve ser de pelo menos 2 litros de água por dia, para garantir um bom funcionamento do corpo e reduzir a retenção de líquidos e melhora da circulação sanguínea.

Essas são orientações generalizadas que podem ajudar na redução dos sintomas causados pela menopausa. Mas é extremamente importante que a mulher se consulte com um médico ginecologista e um nutricionista regularmente para orientações individualizadas conforme os exames laboratoriais.

Referências:

https://revistas.unifan.edu.br/index.php/RevistaICS/article/view/510https://imeb.com.br/suplementacao-nutricional-na-menopausa-como-e-feita-e-quando-e-indicada/#:~:text=Al%C3%A9m%20dos%20tratamentos%20propostos%20pelo,3%20e%20a%20vitamina%20D

Priscila Gomes

Priscila Gomes é nutricionista registrada (CRN-3 29036) Graduada pelo Universidade Paulista. Atua na área de marketing nutricional e funcional na rede Mundo Verde, onde realiza treinamentos de capacitação para equipe de campo nos diferentes estados do Brasil, além do suporte nutricional atrelado a equipe de marketing da empresa.

Deixe uma resposta