Se alimentar bem ao longo do dia, irá impactar diretamente no desempenho esportivo assim como na sua saúde. Mas você sabe qual é o melhor pré treino?

Não existe um melhor pré treino, pois cada um possui nutrientes diferentes para atender a cada necessidade. Mas pensando de maneira geral, o nutriente que deve ser consumido antes de iniciar o exercício físico sem duvidas é o carboidrato. Esse macronutriente tem diversas funções em nosso organismo, como ser a principal fonte de energia do corpo, regular o metabolismo proteico, poupando proteínas – isso garante que seu corpo não usará massa magra (músculo) como fonte energética, além de ser necessário para o funcionamento normal do sistema nervoso central. 

A refeição que antecede o treino, ou pré-treino como ouvimos com frequência, serve para fornecer energia para melhorar a performance durante o exercício físico. Deve ser realizada entre 1 a 2 horas antes da prática. Quem determina o tempo que antecede, o que consumir e a quantidade ingerida é o nutricionista responsável pelo plano alimentar.

Com um pré treino adequado, há melhora do desempenho físico e nos resultados, pois com a alimentação e/ou suplementação apropriada é possível reduzir a fadiga, evitar a degradação muscular, auxilia na hidratação e evita a hipoglicemia. 

Mas como escolher meu pré treino?

As melhores opções consistem nos chamados carboidratos complexos. São aqueles absorvidos lentamente no organismo, evitando picos de açúcar no sangue. Além de conter carboidratos, esses possuem vitaminas, minerais e fibras, o que torna um alimento nutritivo e a fibra faz com que a digestão seja mais lenta e aumente a saciedade. São eles:

Tubérculos como a batata-doce: carboidrato complexo é absorvido de forma mais lenta, promovendo aumento da saciedade.

Crepioca: uma mistura de ovos com tapioca, ideal para fornecer energia para células e aumenta a saciedade.

Frutas com fibras: consumir, por exemplo, uma banana com cacau é um alimento energético e antioxidante, que além de prevenir o envelhecimento celular, evita câimbras e distensões. 

Lanches leves: como pães (100% integrais), queijo com frango desfiado e cenoura, fornece nutrientes energéticos, mas não compromete digestão e o treino.

Suplementos a base de carboidratos: existem diversos tipos. Podem ser consumidos os carboidratos de lenta absorção como a palatinose (indicado para exercícios de longa duração) ou a D-ribose, por exemplo, para rápida absorção (exercícios intensos e/ou de curta duração). A recomendação pode variar de acordo com a atividade a ser executada e o objetivo.

Vale reforçar que é extremamente importante manter uma alimentação adequada ao longo do dia, mantendo uma alimentação equilibrada em carboidratos, dando preferência para os cereais integrais e tubérculos, proteínas magras e gorduras boas durante todo o dia. Além da alimentação e do exercício físico, é dê atenção à qualidade do sono, avaliando a rotina de sono e mantenha-se bem hidratado.

Fonte: Priscila Gomes – Nutricionista da Rede Mundo Verde.

Referências:

https://www.scielo.br/j/rbme/a/9V4tpKBpc9jD8YHN7XL4vFB/?lang=pt
https://www.unirv.edu.br/conteudos/fckfiles/files/COMPORTAMENTO%20ALIMENTAR%20NO%20PR%c3%89%20E%20P%c3%93S-TREINO%20DE%20PRATICANTES%20DE%20MUSCULA%c3%87%c3%83O.pdf

Priscila Gomes

Priscila Gomes é nutricionista registrada (CRN-3 29036) Graduada pelo Universidade Paulista. Atua na área de marketing nutricional e funcional na rede Mundo Verde, onde realiza treinamentos de capacitação para equipe de campo nos diferentes estados do Brasil, além do suporte nutricional atrelado a equipe de marketing da empresa.

Deixe uma resposta