A busca por uma alimentação mais saudável e com redução no consumo de alimentos de origem animal têm cada vez mais popularidade. Mas existem diversos termos para definir o que entra ou não na alimentação dessas pessoas, o que pode gerar dúvidas e diversas vezes o termo é usado erroneamente. 

Entenda quais as diferenças destes termos em relação a dieta e estilo de vida, além dos seus benefícios.

O que é ser vegetariano?

Considerado o indivíduo que exclui carne, aves e frutos do mar de sua dieta. Existem diferentes tipos de vegetarianismo e em alguns casos também é excluído o consumo de laticínios e ovos.

O vegetarianismo é classificado da seguinte forma:

Ovolactovegetarianismo: utiliza ovos, leite e laticínios na sua alimentação.

Lactovegetarianismo: utiliza leite e laticínios na sua alimentação.

Ovovegetarianismo: utiliza ovos na sua alimentação.

Vegetarianismo estrito: não utiliza nenhum produto de origem animal na sua alimentação.

Atualmente é comum encontrarmos também sobre dieta flexitariana. Flexitarian, termo composto pela junção em inglês de “flexível” e “vegetariano”, é uma dieta que reduz o consumo de carnes, mas não há restrição total, o consumo de alimentos de origem animal pode ocorrer algumas ocasiões. Para se enquadrar no perfil, o consumo de carnes, peixes e aves deve se restringir em até três vezes por semana. 

O que é ser vegano?

O veganismo pode ser visto como a forma mais radical e estrita de vegetarianismo. Mais do que uma dieta, pode ser considerado um estilo de vida, que busca excluir todas as formas de exploração e crueldade animal, não se limita somente à alimentação. 

O vegano não utiliza nenhum produto de origem animal, incluindo produtos de:

  • Higiene
  • Cosméticos
  • Vestuário
  • Medicinas

Benefícios da restrição de alimentos de origem animal

As razões para restringir ou reduzir o consumo de carnes é uma dúvida para muitas pessoas. São diversos motivos, mas listamos abaixo os principais pilares: 

Saúde

Existem diversos estudos que associam promoção de saúde a dieta livre de produtos de origem animal. 

O alto consumo de carnes, pode estar associado ao risco de doenças crônicas degenerativas como:

  • Obesidade
  • Hipertensão
  • Diabetes
  • Alguns tipos de câncer

Ética

Milhares de animais são abatidos para produzir carnes, leite e ovos. Animais que têm complexa capacidade cognitiva e sentem dor e sofrem

Meio ambiente

Grande parte do desmatamento da Amazônia, se dá para a produção de carnes, laticínios e ovos. 

Grãos como soja e milho são produzidos globalmente para produção de ração para alimentação de gados e aves, não para consumo humano como muitos pensam. 

Dê o primeiro passo!

Muitos podem achar que a dieta vegetariana é difícil de ser seguida, mas é mais fácil que parece! 

Dê um passo de cada vez, inicie com a segunda sem carne, restringindo o consumo de produtos de origem animal somente na segunda-feira, nos demais dias, reduza o consumo carnes bovinas, suínas, aves e peixes. 

Acredite, com isso você aumentará a variedade das suas preparações culinárias e alimentos, e o mais importante, é o melhor que você pode fazer pela sua saúde, pelos animais, pelas pessoas e pelo meio ambiente.  

Referências

https://vogue.globo.com/beleza/fitness-e-dieta/noticia/2018/03/flexitarianismo-o-regime-alimentar-para-quem-quer-diminuir-o-consumo-de-carne.html

https://health.usnews.com/best-diet/flexitarian-diet

https://www.svb.org.br/205-vegetarianismo/saude/artigos

https://www.svb.org.br/index.php

Priscila Gomes

Priscila Gomes é nutricionista registrada (CRN-3 29036) Graduada pelo Universidade Paulista. Atua na área de marketing nutricional e funcional na rede Mundo Verde, onde realiza treinamentos de capacitação para equipe de campo nos diferentes estados do Brasil, além do suporte nutricional atrelado a equipe de marketing da empresa.

Deixe uma resposta