O suplemento é indicado para quem pratica exercício físico e não consegue suprir as necessidades proteicas ao longo do dia

Atingir a quantidade adequada de proteínas no dia é o principal objetivo do consumo de Whey Protein. O suplemento é obtido por meio do processo de coagulação do queijo, proteína extraída do soro do leite. Além disso, é considerada uma boa fonte de aminoácidos essenciais – aqueles que não são produzidos pelo corpo – elementos primordiais para a boa construção muscular. 

Conheça os diferentes tipos de whey protein, benefícios, indicações, como tomar e contra-indicações.

Os tipos de Whey Protein

De acordo com Priscila Gomes, nutricionista do Mundo Verde, existem três opções de Whey Protein disponíveis no mercado:

Concentrado: o soro do leite passa por uma filtragem em que se concentra sua proteína. Essa concentração pode variar de 20% a 85%. Normalmente, nesse tipo de Whey não há exclusão total do carboidrato, portanto, contém lactose, sendo contraindicado para os intolerantes a esse nutriente.

Isolado: o processo de filtragem do soro é mais minucioso. A concentração do soro do leite é de 90% a 95%. Possui baixo teor de carboidratos, geralmente são adicionados por conta do sabor e zero gordura.

Hidrolisado: hidrólise significa quebra ou fracionamento de proteína. É um suplemento mais rapidamente absorvido e com melhor digestibilidade. Também apresenta menor potencial alergênico.

Os benefícios e indicação

De acordo com Fernando Ciqueira, médico nutrólogo e proprietário da clínica FC, o maior benefício em consumir o Whey Protein é suplementar o que não conseguimos ingerir com alimentos em uma dieta hiperproteica. Também explica:

Ele seria dispensável se o paciente comesse a quantidade de proteína indicada na dieta, porém é muito difícil isso ocorrer.

Priscila Gomes destaca outros benefícios do  Whey Protein:

  • Suplemento de elevado valor nutricional
  • Possui fácil digestão 
  • Apresenta melhor capacidade de absorção do que as demais proteínas
  • Auxilia no ganho de massa muscular 
  • Favorece a recuperação pós-treino. 

“O suplemento hiperproteico é indicado para praticantes de atividades físicas que precisam de maior quantidade de proteína”, acrescenta a nutricionista.

Alimentos ricos em proteína

Quem prefere encontrar na alimentação a quantidade adequada de proteínas pode investir em alimentos como aves, peixes, ovos, porcos, leite e derivados, assim como as leguminosas (feijões de todos os tipos, lentilha, grão de bico, quinoa, ervilha, soja, fava, tremoço, tofu, entre outros), sugere a nutricionista. 

Como tomar Whey Protein?

A quantidade recomendada deve ser avaliada junto do nutricionista. De acordo com Fernando Cerqueria, a quantidade que cada pessoa deve consumir de Whey Protein depende da dieta individual e do peso. “Porém, podemos falar em 3 doses ao dia: uma pós treino, uma no lanche da manhã e uma no lanche da tarde”, sugere o médico.

O excesso pode ser prejudicial

O consumo em grandes quantidades, por exemplo, pode causar problemas graves como pielonefrite.

Além disso, o excesso de proteína é excretado pelo organismo, fazendo com que os rins trabalhem mais. A longo prazo, este processo pode causar insuficiência e cálculo renal. A nutricionista explica:

Com a sobrecarga do rim, o consumo exagerado de proteína pode levar ao inchaço do corpo, já que o controle hídrico do organismo fica prejudicado e o organismo começa a reter líquido.

Desta forma, o ideal é sempre consultar um especialista antes de iniciar o consumo.

Deixe uma resposta