Já ouviu falar da raspberry? No Brasil é mais conhecida como framboesa. Essa frutinha é tão poderosa, porém, infelizmente não está no hábito alimentar do brasileiro. Mas depois dessa leitura, tenho certeza que você nunca mais ficará sem!!!

Originário de lugares frios, como a Europa e Ásia, esse pequeno fruto é arredondado, com uma pele aveludada. Sua cor pode ser variada entre amarelado, roxo, avermelhado e preto; é muito aromático, com sabor doce e um tom sutilmente ácido. Podemos consumi-lo como fruta, em suco, geleia, cápsulas, bebidas ou até mesmo congelado.

A raspberry lidera o topo da lista de frutos com alto poder antioxidante, protegendo contra danos dos radicais livres. Segundo estudos, ela tem ação terapêutica, efeito protetor para o cérebro, atividade anti-inflamatória e anticancerígena, além de reduzir incidências de doenças como: diabetes, hipertensão arterial e doenças cardiovasculares.

Tem o poder de melhorar o sistema imunológico, pois é rica em vitamina C, que deixa o organismo mais resistente a doenças, além de vitamina A, cálcio, fósforo e potássio. Seu teor de fibras é altíssimo: 8 gramas e apenas 60 calorias em uma xícara.

Você está curioso para saber porque ela ajuda a emagrecer? Aqui vai a explicação!

Como dito anteriormente, boa parte da fruta é fonte de fibras, que atuam na saciedade, diminuindo o apetite. Além disso, colabora para o bom funcionamento do intestino e controla os níveis de colesterol e açúcar na corrente sanguínea.

Outro benefício interessante é que as cetonas da framboesa são antioxidantes, que facilitam na transformação de gordura em energia, auxiliando na queima de gordura corporal, reduzindo o apetite e prologando a saciedade, potencializando assim o emagrecimento, sendo considerada um termogênico natural.

Lembre-se: mesmo para perda ou manutenção de peso, devemos ter uma alimentação balanceada e bem variada. Inclua sempre cereais integrais, verduras, legumes e frutas nas suas refeições. Quanto mais colorida, mais variedade de antioxidantes você irá consumir. Estipule horários regulares e evite beliscar entre as refeições.

Fonte: Priscila Gomes

Deixe uma resposta