Você sabia que a osteoporose atinge aproximadamente 10 milhões de pessoas em todo o Brasil?
Com o envelhecimento da população e de maneira silenciosa, a doença deve atingir cada vez mais pessoas. Como agir diante desta realidade? Aceitar ou prevenir? Com certeza, a nutrição diz: PREVENIR.
A osteoporose é uma doença bem definida e se dá pela diminuição da densidade e massa óssea, ou seja, nossos ossos ficam finos e frágeis, aumentando as chances de fraturas.
Alguns fatores aumentam as chances de desenvolvimento da doença. Mulheres na pós-menopausa têm maior risco devido à desregularização hormonal, mas em homens também é comum. Fatores como baixa ingestão de cálcio e vitamina D, histórico familiar, pouca exposição ao sol e até mesmo o excesso de peso podem se relacionar com o desenvolvimento da osteoporose.
Mas vamos ao que interessa de fato: NUTRIÇÃO.
 
Como prevenir?
Aquela história de que precisamos consumir fontes ricas de cálcio para não sofrer com desgaste ósseo no futuro é verdadeira.
A principal fonte de cálcio não é o leite exclusivamente, como muitos imaginam, mas também as sementes de gergelim. Outras ótimas fontes: couve manteiga, queijos minas (frescal), manjuba, requeijão cremoso, ricota, amêndoa torrada e salgada e soja. Mas também encontramos quantidades significantes na castanha do Brasil, no leite, no agrião, na chia e também no grão de bico.
Os alimentos ricos neste mineral ajudam a fortificar não somente ossos e dentes, mas auxiliam também na contração do músculo e na coagulação sanguínea.
 
Quando prevenir?
A prevenção deve acontecer desde sempre. Da infância à fase adulta, a alimentação saudável e rica em fontes de cálcio, vitamina D e outros minerais, como magnésio e fósforo, deve ser levada a sério, pensando na manutenção da estrutura óssea.
Jamais abra mão de uma alimentação variada. Não espere acontecer, previna hoje. Não se esqueça de procurar orientação de um profissional capacitado para garantir o equilíbrio nos níveis de todos os nutrientes e, assim, melhorar a absorção daqueles realmente primordiais para diminuir quadros de osteoporose.
 
Fonte: Marcela Mendes

Deixe uma resposta