Consumo regular deste ácido graxo pode prevenir problemas no coração e até contribuir no emagrecimento

Escolher o Ômega 3 adequado pode trazer diversos benefícios para saúde. Reduzir o colesterol e dar um gás na memória são alguns deles.

Fonte de ácido graxo, uma gordura boa poli-insaturada, possui alta concentração em EPA (ácido eicosapentaenoico) e DHA (ácido docosa-hexaenoico), ambos essenciais para o organismo, portanto devem ser obtidas com a ajuda dos alimentos certos ou suplementação. 

 Aprenda a escolher a melhor opção para você! Neste artigo você encontra:

Os benefícios para a saúde
Ômega 3 emagrece?
Indicações
Suplemento de ômega-3: como escolher o melhor?
Alimentos ricos em Ômega 3
Contraindicações

Os benefícios para a saúde

O que não faltam são estudos que mostram as vantagens em consumir o Ômega 3. 

De acordo com o Dr. Renato Zilli, endocrinologista do Hospital Sírio Libanês, pesquisas indicam, por exemplo, que a suplementação de óleo de peixe pode ser benéfico para o sistema cardiovascular. O especialista alega:

Em pacientes com doença arterial coronariana, o consumo de óleo de peixe pode reduzir o risco de morte súbita cardíaca.

De acordo com a Priscila Gomes, nutricionista do Mundo Verde, pesquisas também apontam outros benefícios, tais como: 

  • Melhora na concentração
  • Redução dos sintomas da depressão e do Alzheimer
  • Diminuição do colesterol
  • Redução da agregação plaquetária e a formação de coágulos, prevenindo doenças cardiovasculares
  • Ação anti-inflamatória
  • Redução da pressão arterial
  • Diminuição de problemas de pele, como eczema e psoríase.

Ômega 3 emagrece?

Segundo a nutricionista, devido o seu poder anti-inflamatório, o Ômega 3 também pode contribuir no emagrecimento.

“A inflamação crônica provoca alterações no controle da fome e saciedade através da liberação de hormônios que aumentam o apetite. Este processo inflamatório favorece a retenção de líquido e aumenta a resistência à insulina, por isso, reduzi-la pode colaborar com a perda de peso”, aponta Priscila.

Indicações

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a ingestão de pelo menos duas porções de peixe por semana.

Para aqueles que não conseguem alcançar esta quantidade, o médico sugere o consumo de um suplemento diário de óleo de peixe (cerca de 1 g ao dia, sendo de 200 a 800 mg de EPA e DHA).

As gestantes também devem fazer o uso, a nutricionista aponta:

A suplementação durante o primeiro trimestre da gestação contribui no desenvolvimento mental e visual dos bebês.

A indicação neste caso é de duas ou três porções semanais de uma variedade de tipos de peixes ricos em LCPUFA n-3 e com baixo teor de mercúrio. Isso significa não comer:

  • Tubarão
  • Espadarte
  • Carapau
  • Marlim
  • Atum laranja ou atum patudo

Estes peixes podem conter níveis relativamente altos de mercúrio, o que pode causar neurotoxicidade.

No entanto, em geral a quantidade diária recomendada deve ser avaliada conforme as necessidades individuais, condições de saúde e alimentação. Por isso, o ideal é consultar um nutricionista antes de iniciar a ingestão. 

Suplemento de ômega-3: como escolher o melhor?

A nutricionista sugere algumas dicas antes de aderir à suplementação do Ômega 3. 

  • Observe a lista de ingredientes: Ela deve conter somente óleo de peixe e em algumas marcas, a vitamina E. Algumas marcas não adicionam Vitamina E, devido à apresentação não causar oxidação do ácido graxo. 
  • Deve-se observar a quantidade de EPA e DHA por cápsula. Ela deve ser suficiente para suprir o mínimo da concentração diária destes nutrientes. Essa é uma informação essencial que deve estar no rótulo. 
  • Caso o suplemento seja de origem animal, tenha a certeza de que o óleo é livre de metais tóxicos. Atente-se aos contaminantes ambientais como mercúrio e dioxinas. Algumas marcas sinalizam essa informação no rótulo. 
  • Empresas contratadas avaliam a qualidade e pureza do ômega 3. Como resultado, as marcas qualificadas possuem um selo no rótulo que comprova sua pureza. 

Alimentos ricos em Ômega 3

O Ômega 3 pode ser encontrado em peixes de águas marinhas, profundas e geladas, tais como:

Em fontes vegetais, o ômega 3 é encontrado em sementes de linhaça, semente de chia, quinoa, maca peruana e nozes. 

fontes de ômega 3

Contraindicações

Na extração de Ômega 3 a partir de Krilla, um crustáceo, é contraindicado para pessoas alérgicas a frutos do mar. Neste caso, é recomendado o consumo de sementes que são ricas nesse ácido graxo, como linhaça e chia.  

Além disso, sugere a nutricionista, quem tem problemas de coagulação deve procurar um profissional da saúde para avaliar a suplementação, pois o Ômega 3 pode tornar o sangue mais fluido. 

Deixe uma resposta