Você sabe o motivo de o dia 8 de março ser considerado o Dia Internacional da Mulher? Em 1857, no dia 8 de março, operárias de uma fábrica de tecidos, situada em Nova Iorque, fizeram uma grande greve para reivindicar melhores condições de trabalho e o fim da discriminação entre os gêneros, já que homens recebiam mais pelo mesmo serviço prestado. A manifestação, entretanto, foi reprimida com total violência e as mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada, causando a morte de 130 delas.
Em 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o Dia Internacional da Mulher, como forma de homenagem. Foi somente em 1975, por meio de um decreto, que a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).
Com lutas até os dias atuais, mulheres ambicionam cada vez mais a independência, melhor qualidade de vida e bem-estar próprio. Uma maneira de começar isso é mantendo e criando hábitos saudáveis como, por exemplo, uma boa alimentação. Acompanhe:
Muito ferro
O ferro é um micronutriente muito importante para o sistema imunológico e para o desempenho cognitivo, porque é ele o responsável pela formação da célula vermelha do sangue – a hemoglobina, que trabalha como carregadora de oxigênio para todas as outras células e tecidos do corpo. O órgão que mais sofre com essa carência é o cérebro.
Sabe-se que as mulheres em idade reprodutiva estão incluídas nos grupos de risco para o desenvolvimento de anemia. Capriche na ingestão de feijão, couve, espinafre, brócolis, beterraba, folhas verde-escuras em geral e carne vermelha magra.
Gorduras saudáveis
As gorduras que chamamos de polissaturadas e monoinsaturadas auxiliam no fortalecimento da pele e do sistema imunológico, e ajudam a prevenir doenças cardiovasculares e neurodegenerativas. Alimentos integrais, abacate, azeite de oliva, óleo de macadâmia, sementes de chia, linhaça e girassol, oleaginosas e peixes, principalmente os de água fria, são grandes fontes.
Protetores da pele
O betacaroteno, pigmento que dá a cor alaranjada na abóbora, manga, cenoura, mamão, damasco etc., ajuda na formação de melanina, responsável pela pigmentação e proteção da pele contra a radiação solar.
Capriche no consumo de proteínas magras para manter a sustentação e renovação celular, e não se esqueça da vitamina C para correta produção do colágeno em nosso organismo. Lembrando que esta vitamina também auxilia na melhor absorção do ferro presente nos alimentos de origem vegetal, já citados anteriormente.
Fitoestrógenos
A soja e seus derivados, assim como as sementes de linhaça, podem ajudar a normalizar os níveis de estrógeno (hormônio feminino), melhorando a vida das mulheres durante o período fértil e, sobretudo, após a menopausa.
Dica: utilize as sementes de linhaça trituradas na forma de farinha para um melhor aproveitamento de seus componentes.
Cálcio
Mineral responsável por dentes e ossos fortes, atua na transmissão dos impulsos nervosos e na contração muscular, inclusive cardíaca.
As mulheres precisam ainda mais deste mineral devido ao período de menopausa, quando a queda hormonal deixa a mulher suscetível a um desequilíbrio de remodelação óssea, chamado osteoporose. A recomendação para mulheres é 1.000 mg ao dia e, após a menopausa, 1.200 mg ao dia. As principais fontes de cálcio são leite e seus derivados, além de vegetais folhosos verde-escuros e o gergelim.
Aposte no ácido fólico (vitamina B9), principalmente se você deseja engravidar.
A vitamina B9 é necessária para o crescimento e a divisão celular, sendo fundamental nos primeiros três meses de gestação para a formação do tubo neural do feto (estrutura que dará origem ao cérebro e a medula espinhal). O ácido fólico é fundamental para o crescimento normal, na gestação e lactação, e na formação de anticorpos. As principais fontes são os vegetais folhosos e os legumes.
 Diminua o sal
O sódio é um mineral necessário para o funcionamento do organismo, mas seu consumo deve ser cauteloso. Fique atenta no manejo do saleiro e na ingestão de alimentos industrializados (estes costumam ter grandes quantidades de sódio) e molhos prontos, como shoyo e inglês. É que tudo que leva à retenção de água, sobretudo no período pré-menstrual, atrapalha o bem-estar geral e, claro, piora a celulite.
Aposte em uma dieta rica em líquidos, chás e sucos naturais. Aumentar as fontes de potássio, incluindo frutas como banana e laranja, também ajuda a diminuir a retenção de líquidos.
Fonte: Jaqueline Fagundes e Priscila Teles – Nutricionistas da Rede Mundo Verde

Deixe uma resposta