Primeiro: por que fazer uma dieta sem glúten? Quais alimentos tem glúten?
O glúten é uma proteína que está presente nos seguintes alimentos: trigo, aveia, centeio, cevada e malte. Vários ingredientes de receitas tradicionais brasileiras incluem produtos que, de um tempo para cá, vêm aumentando a quantidade de glúten na composição. Um exemplo é o trigo, com a transgenicidade, para aumentar a produção, acabou ficando com uma quantidade muito maior de glúten: hoje ele possui 400% a mais da substância do que possuía anteriormente.
O consumo elevado de glúten já está diretamente relacionado a diversos tipos de doenças, como: câncer, doenças autoimunes, desordens cerebrais, osteoporose, doenças intestinais, problemas gestacionais, e ainda está relacionado ao inchaço e ganho de peso.
Portanto, já temos indícios suficientes para incluir a dieta sem glúten em seus hábitos, mas vale ressaltar:
A dieta sem glúten é saudável, porém, sem loucuras. O segredo é variar as escolhas alimentares. Evite se basear apenas na farinha de trigo para fazer bolos, pães, dentre outras receitas, aprenda a variar. Hoje, faça um bolo com farinha de arroz, depois use farinha de banana verde, depois milho e assim por diante. Opções saudáveis para substituir produtos sem glúten não lhe faltarão.
Outro ponto importante quando o assunto é zero glúten: doença celíaca. A doença celíaca ocorre em pessoas com tendência genética à doença. Geralmente aparece na infância, entre 1 e 3 anos, mas pode surgir em qualquer idade, inclusive em adultos.
É uma doença autoimune, desencadeada pela ingestão de glúten. É caracterizada pela inflamação da mucosa do intestino delgado que pode resultar em machucados pelo intestino, causando má absorção de nutrientes, dores abdominais, perda de peso, dentre outros.
Agora, caso você queira excluir o glúten da sua dieta por qualidade de vida ou por ser celíaco, aqui vão algumas dicas preciosas para a hora de escolher os seus alimentos:
1º – Não considere o produto sem glúten sempre o mais saudável, essa não é uma regra. A exclusão do glúten nas receitas normalmente deixa os produtos mais ressecados e algumas vezes esfarelando.
Muitas empresas, para melhorar a textura do produto, acrescentam uma quantidade maior de gorduras em suas receitas, gorduras até saudáveis, porém na maioria das vezes, o que agregam ao produto são calorias vazias.
Portanto, além de olhar se o produto é sem glúten, observe na tabela nutricional a quantidade de gordura saturada e gordura trans que o compõe.
2º – Fibras, essas são essenciais para que o produto, além de saciar a sua fome, agregue benefícios a sua saúde.
As fibras auxiliam na redução do colesterol, regulação do intestino, aumentam a saciedade e ainda controlam a absorção do açúcar, motivos suficientes para reparar na última linha da tabela nutricional, que é tão importante quanto as demais.
3º – Sódio, muitas pessoas acreditam que somente os hipertensos precisam retirar o sódio da dieta, mas não é bem assim. O sódio é necessário para algumas funções básicas, porém há um limite para o seu consumo (2000 mg/ dia.) O espantoso é que o nosso consumo está muito, muito acima disso, alguns alimentos chegam a ter 1300 mg de sódio em uma única porção.
Observação: boa parte dessa quantia de sódio nós adquirimos consumindo o sal, esse que contém grande quantidade de sódio na composição, portanto, tente limitar o consumo de 1000 a 1200 mg de sódio por dia. Somando a quantidade de sal, você ficará dentro desse limite saudável de consumo.
4º – Dê preferência a alimentos naturais, nas descrições de produtos que contém glúten na composição, começamos falando de alimentos industrializados que contém glúten e seus substitutos.
Além disso, precisamos lembrar que temos uma variedade enorme de frutas, verduras e legumes, além dos cereais, que naturalmente não possuem glúten na composição. Os alimentos industrializados devem entrar em nossa alimentação, porém não devem ser a base dela. A variedade alimentar é o segredo para a sua saúde.
Agora que já sabe todos os pontos importantes para a dieta sem glúten, que tal experimentar? A mudança pode resultar numa vida mais saudável.

Deixe uma resposta