Atualmente vemos o movimento vegano crescendo cada vez mais no mundo. Ele tem como objetivo reduzir a exploração animal, além dos aspectos ecológicos e para a saúde. Neste estilo de vida, não há consumo de alimentos de origem animal, como carnes, ovos, peixes, méis, leite, ou qualquer produto que envolva os animais em sua produção.

Pelo menos 14% da população brasileira se autodeclara vegetariana e estima-se que aproximadamente 7 milhões sejam veganos. E pais que seguem dietas à base de plantas tendem a desejar o mesmo para seus filhos, e assim como em qualquer dieta, a inclusão de nutrientes de qualidade e em quantidades adequadas é o fator primordial.

Assim como em outros estilos de vida, na dieta vegana é incentivado o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses. E mesmo após a introdução alimentar, o aleitamento materno continua sendo recomendado até os 2 anos de vida.

Mas e a criança pode ser vegana e ser saudável?

É extremamente importante salientar que a criança pode seguir uma alimentação vegana, desde que, faça um acompanhamento nutricional, para que não haja deficiências nutricionais.

O ato de comer alimentos de origem animal, não torna uma criança saudável, assim como o veganismo não é sinônimo de desnutrição. Uma criança onívora, ou seja, que faz consumo de produtos de origem animal, mas que tem como base uma alimentação rica em industrializados, ultraprocessados, com alto consumo de salgadinhos, produtos com alta concentração de açúcar e gordura, poderá sofrer com deficiências nutricionais e ainda há o risco aumento de doenças degenerativas como hipertensão, diabetes e hipercolesterolemia.

Para uma criança vai ser saudável, dependerá do estilo de vida e do hábito alimentar familiar.

Então basta ser classificada como vegana para dieta ser considerada saudável?

A resposta é não. Para ser considerada saudável, a dieta deve ser bem planejada e orientada. Existe um menor risco no desenvolvimento da obesidade e de doenças crônicas. Afinal, a base da alimentação do vegano costuma ser alimentos naturais, como frutas, verduras, legumes e leguminosas. Mas por outro lado, se mal planejada, a criança pode apresentar deficiências nutricionais, como o ferro, cálcio, proteínas, vitamina B12 e vitamina D. Assim como uma criança com uma dieta onívora desequilibrada.

Quais principais nutrientes para ficar de olho em uma dieta vegana? 

Todos nutrientes serão essenciais para o crescimento e desenvolvimento da criança. Por isso é importante o acompanhamento nutricional para equilíbrio dos macronutrientes, são eles carboidratos, proteínas e gorduras, assim como os micronutrientes, como as vitaminas e minerais.

No caso da vitamina B12, esse é um nutriente que deve ser suplementado, pela falta de fontes vegetais. Mas é muito comum onívoros também necessitarem da suplementação, já que, existem outros fatores para sua absorção, como interação medicamentosa, saúde intestinal, entre outros.

Assim como precisam garantir o fornecimento de outros nutrientes essenciais como ferro, vitamina D, zinco, cálcio e ácidos graxos.

Desse modo, desde que bem planejada e acompanhada com atenção adequada a componentes nutricionais específicos de acordo com as individualidades, uma alimentação vegana para crianças pode proporcionar um estilo de vida saudável em todas as fases do crescimento.

Fonte: Priscila Gomes – Nutricionista da Rede Mundo Verde.

Priscila Gomes

Priscila Gomes é nutricionista registrada (CRN-3 29036) Graduada pelo Universidade Paulista. Atua na área de marketing nutricional e funcional na rede Mundo Verde, onde realiza treinamentos de capacitação para equipe de campo nos diferentes estados do Brasil, além do suporte nutricional atrelado a equipe de marketing da empresa.

Deixe uma resposta