O problema do açúcar refinado, é que ele é 100% caloria, sem valor nutricional. O açúcar ou a sacarose é um carboidrato formado por glicose e frutose, é conhecido por sua característica de palatabilidade, ou seja, de tornar os alimentos saborosos.

Quando o açúcar é consumido em excesso, é armazenado sob a forma de triglicérides, aumentando o risco do desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Além disso, por ser calórico, estimula o ganho de peso podendo levar a obesidade e com ela aumentar o risco de diabetes, hipertensão e dislipidemias. O consumo de açúcar acidifica o sangue o que pode causar descalcificação e desmineralização de ossos aumentando o risco de osteoporose. Desta forma, o açúcar não deve ser considerado um alimento, mas sim um antinutriente. O consumo excessivo de açúcar também nos predispõe ao diabetes. Ao consumirmos açúcar em excesso, produzimos muita insulina o que cria resistência à ação da insulina e o surgimento de diabetes.

Muitas pessoas relatam que são “viciadas” em doces. Isso pode acontecer devido ao aumento nos níveis de dopamina e serotonina, substâncias produzidas no cérebro e que estão associadas ao prazer e ao bem-estar.

 

Outras opções de açúcares:

– Açúcar mascavo: É o açúcar bruto, escuro e úmido, extraído depois do cozimento do caldo de cana. Possui cálcio e ferro.

– Açúcar demerara: Passa por um leve refino. Não recebe aditivos químicos. Seus grãos são marrom-claros e têm valores nutricionais parecidos com os do açúcar mascavo.

– Açúcar de coco: É um ótimo substituto do açúcar comum, já que adoça igual. Possui baixo índice glicêmico, menor do que o açúcar da cana, sendo benéfico para dietas de emagrecimento. Fonte de vitaminas do complexo B (B1, B2, B3, B6) e de ferro, zinco, potássio e magnésio.