1 de October de 2014

Você é um consumidor consciente?

Postado por: Mundo Verde em 14 de outubro de 2013

O dia 15 de outubro foi instituído como Dia do Consumo Consciente pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) em 2009. Já faz algum tempo, mas o objetivo da data continua sendo o mesmo e cada vez mais atual: despertar a consciência para os problemas sociais, econômicos, ambientais e políticos causados pelos padrões de produção e consumo excessivos. Ler Mais +

O uso responsável da água

Postado por: Mundo Verde em 2 de maio de 2011

O consumo responsável de água tem sido um assunto muito falado nos últimos tempos. Usar a água de maneira responsável é vital para o meio ambiente, para a sociedade e para o bolso dos consumidores, levando em conta que, o uso consciente leva a redução dos custos com conta de água.

Esta preocupação gira em torno do fato de que, em toda a água existente no mundo, apenas 1% encontra-se disponível em lagos e rios, e grande parte deles sofre com situações de poluição ou contaminação. Sendo assim, o controle do desperdício se torna uma premissa básica e, em conseqüência, é imprescindível rever hábitos e atitudes.

Uma boa alternativa para evitar desperdícios é a estratégia agroecológica, que visa a manutenção da saúde do solo e da água para a produção de alimentos saudáveis. Os proponentes desta técnica acreditam que num solo saudável, mantido sem o uso de fertilizantes e pesticidas feitos pelo homem, os alimentos tenham qualidade superior a de alimentos convencionais.

Excluindo o uso de fertilizantes, agrotóxicos e produtos reguladores de crescimento, a agricultura orgânica tem como base o uso de estercos animais, adubação verde, rotação de culturas, compostagem e controle biológico de pragas e doenças. Estando diretamente ligada ao desenvolvimento sustentável, ela pressupõe a manutenção da estrutura e da profundidade do solo, sem alterar suas propriedades por meio de produtos químicos ou sintéticos.

Com relação à água, o papel da agricultura orgânica consiste nos seguintes pontos:

  • Recuperação da estrutura física e biológica dos solos, o que permite maior armazenamento de água durante os períodos de estiagem;
  • A mesma estrutura que permite maior armazenamento de água durante a seca, permite maior infiltração de água, durante as chuvas, possibilitando um maior reabastecimento dos lençóis freáticos, permitindo que a água faça seu caminho natural de alimentar os rios e nascentes após as chuvas;
  • A manutenção do solo coberto reduz a evaporação, mantendo a água que já foi conservada, por mais tempo disponível para as raízes da planta.
  • O uso de quebra-ventos e cercas-vivas diminui a velocidade do vento, reduzindo, consequentemente a evaporação, criando um microclima mais úmido e adequado para as plantas.

Separamos também algumas dicas caseiras para a economia de água:

  • Diminua o tempo do banho e desligue o chuveiro enquanto estiver se ensaboando;
  • Para escovar os dentes, feche a torneira enquanto estiver usando a escova;
  • Para lavar as louças, abra a torneira somente no momento de enxaguar;
  • Na hora de lavar o carro, use baldes ao invés de mangueira;
  • Ao invés de gastar água para lavar quintal e calçada, deixe que a chuva faça esse trabalho. Utilize a vassoura para tirar a sujeira;

E você, qual o seu método responsável de uso da água?

Brasileiro ainda é pouco verde

Postado por: Mundo Verde em 3 de dezembro de 2010

Apesar de saber cada vez mais sobre sustentabilidade e meio ambiente, o brasileiro ainda não traduz seu conhecimento em ações práticas. Um estudo realizado pela empresa Kantar Worldpanel revela que o percentual de brasileiros que já ouviu falar sobre aquecimento global cresceu de 68 para 92% em um ano. Entretanto, menos de 70% da população age em prol do meio ambiente.


O estudo sobre “consumo verde” foi feito em 16 grandes cidades da América Latina e publicado no jornal Valor Econômico no último mês. No Brasil, o levantamento aconteceu no Rio e em São Paulo e concluiu que somos o país com menor grau de “consciência verde” entre nossos vizinhos. “Ao mesmo tempo em que percebe a importância de um consumo mais sustentável, o brasileiro está tendo acesso a mais bens, muitos compraram o primeiro carro, passaram a ter mais eletrônicos em casa – o que gera consumo maior de energia elétrica e aumenta a produção de lixo“, disse o presidente da Kantar no Brasil, Carlos Cotos, ao jornal Valor.

Entretanto, a pesquisa aponta para uma direção positiva. 73% dos consumidores responderam que pagariam mais por produtos que se preocupam com o meio ambiente. Desses, 31% dizem já fazer isso, 33% argumentam que os produtos não cabem em seu orçamento e outros 9% afirmam não encontrar esse tipo de mercadoria nas gôndolas. Os consumidores também mostraram uma postura exigente com as empresas. 36% não acreditam na imagem sustentável transmitida pelas campanhas publicitárias, e dizem querer informações sobre o resultado final das ações divulgadas. Fica a dica para as empresas se preocuparem com uma comunicação verdadeira e transparente e com o preço de seus produtos “verdes”.

Já os consumidores, podem seguir as dicas do blog Mundo Verde. Usar a Ecobag, economizar energia e se preocupar com o consumo sustentável são ações simples e que fazem bem ao planeta!

Leve sua Ecobag às compras

Postado por: Mundo Verde em 15 de outubro de 2010

Nem sempre ter uma Ecobag significa deixar de usar sacolas plásticas. Muita gente usa as sacolas para forrar a Ecobag ou acaba esquecendo a bolsa ecológica em casa. Entretanto, é importante ficar atento à função correta destas sacolas. A Ecobag existe para diminuir a quantidade de saquinhos que poluem o ambiente, por isso, deve ser sempre lembrada na hora de ir às compras.

Uma pesquisa feita por um fabricante de Ecobags e citada em um blog da ClickRBS aponta que 71% das pessoas que possuem a bolsa não estavam utilizando-a na hora das compras. Os principais motivos foram esquecimento, pouca praticidade em carregar a Ecobag e opção por reutilizar as sacolas plásticas para outros fins.

Lembre-se que a bolsa ecológica é um acessório funcional que pode até seguir a moda. Confira algumas dicas para utilizá-las:

  • Procure Ecobags mais práticas, que possam ser dobradas e colocadas dentro da bolsa.
  • Deixe sua bolsa ecológica sempre à vista, assim você vai lembrar de levá-la às compras.
  • Escolha modelos que combinem com seu estilo, assim você vai sentir mais vontade de carregar sua bolsa.

Depois dessas dicas, lembre-se sempre da sua Ecobag. Carregando uma bolsa ecológica você sai na moda e ainda ajuda o planeta!

Inauguração da nova sede e lançamento da Campanha Planeta Saudável

Postado por: Mundo Verde em 30 de setembro de 2010

Ontem aconteceu a inauguração da nova sede da Mundo Verde em Petrópolis – RJ e junto foi feito também o lançamento da Campanha Planeta Saudável, em parceria com a organização não governamental MBDV – Movimento Brasileiro em Defesa da Vida.

A campanha conta com o apoio do Centro de Informação das Nações Unidas (Unic-Rio) e está em conformidade com o Ano Internacional da Biodiversidade, declarado pela ONU para 2010.

O evento contou com a participação de Giancarlo Summa, Diretor do Centro de Informação das Nações Unidas (Unic-Rio) e também de Sônia Pereira, Coordenadora da Campanha Planeta Saudável.

Giancarlo nos falou um pouco sobre a relação entre Mundo Verde e a biodiversidade e Sônia nos explicou um pouco sobre a Campanha Planeta Saudável. Confira:

Giancarlo Summa

Giancarlo Summa: “O sucesso da Rede Mundo Verde é uma das provas da pressão crescente de levar a tentativa de harmonizar o Brasil com o esforço global de conscientizar as pessoas sobre a importância do meio ambiente.

A relação entre Cliente e Mundo Verde é uma relação individual onde o Cliente está disposto a investir naquilo que faz bem.

As pessoas devem estar cientes de que tudo o que fazemos tem impacto sobre o meio ambiente. O único planeta que temos é este, e precisamos mantê-lo para as próximas gerações e isso depende de uma mudança de comportamento.”

Sônia Pereira

Sônia Pereira: “A Campanha Planeta Saudável consiste em juntar esforços para a saúde, bem-estar e qualidade de vida na Terra e terá três temas principais até o final do ano: Água (outubro), Vida (novembro) e Energia (dezembro).

A campanha terá duas frentes: A primeira será na internet (com artigos, publicações, etc.) mobilizando os internautas preocupados com o estado do planeta.

A segunda frente será nas lojas, através das ecobags, que terão cunho educativo visando enfatizar vários conceitos como: consumo consciente, gerenciamento do lixo, combate ao desperdício, preocupação com o futuro, etc.

A saúde do nosso planeta é a nossa saúde também, afinal eu sou a biodiversidade, você é a biodiversidade, nós somos a biodiversidade. Uma idéia pode salvar o planeta.”

Vamos, todos juntos, cooperar para um planeta melhor e com qualidade de vida!

Acesse nosso site e saiba mais sobre esta Campanha: http://www.site1376956567.hospedagemdesites.ws/CampanhaPlanet.asp

Arquitetura verde

Postado por: Mundo Verde em 15 de setembro de 2010

Você sabe o que é arquitetura verde ou sustentável? É um tipo de arquitetura que diminui os impactos ao meio ambiente e economiza recursos naturais. Adotando práticas sustentáveis na construção ou reforma de um espaço, são gerados menos resíduos e prejuízos à natureza.

Falando assim, parece uma coisa inovadora e muito complicada, mas existem modelos simples de arquitetura sustentável. Por exemplo, o fato de ter uma claraboia que aproveita a luz do dia, já é um ato de arquitetura verde. Assim, economiza-se energia elétrica. Outro exemplo é reaproveitar a madeira de móveis antigos dando uma nova roupagem. Dessa forma, evita-se a geração de entulho no meio ambiente.

Quando for reformar ou construir uma casa, analise os elementos que você pode inserir no ambiente para economizar energia e materiais. Veja como aproveitar ao máximo a luz do dia, pinte as paredes de cores claras, use lâmpadas econômicas e madeira de reflorestamento. Veja abaixo o exemplo de duas lojas da Rede Mundo Verde que adotaram a arquitetura sustentável e inspire-se para fazer o mesmo na sua casa:

Em Ipanema, no Rio de Janeiro, é onde foi inaugurada a primeira loja Mundo Verde com este conceito. Foram reaproveitados diversos materiais pré-existentes no local para evitar a geração de resíduos. Durante a obra, foi utilizado cimento queimado, que economiza material e não precisa de rejunte. A pintura foi feita com tinta à base de água e a fachada usa madeira de demolição. Todo o material comprado para a reforma veio de fornecedores do Rio de Janeiro, para diminuir o impacto ambiental com o transporte.

A claraboia da loja em Ipanema facilita a iluminação.

Além disso, o projeto também possui uma claraboia, para aproveitar a luz do dia. Para economizar ainda mais energia, foram adotadas as lâmpadas econômicas com luz fria (fluorescente), e o ar condicionado possui sensor de temperatura.

São Paulo também possui uma loja Mundo Verde com arquitetura sustentável. Ela foi inaugurada este ano e fica no bairro Vila Nova Conceição. Todas as paredes da loja são pintadas com tinta mais clara, que diminui a emissão de CO2. Também são utilizadas lâmpadas fluorescentes e lâmpadas de LED, que tem maior duração e menor consumo de energia.

Fachada da loja Mundo Verde em Vila Nova Conceição - São Paulo.

O uso da água é racionado nas torneiras automáticas e descargas ecologicamente corretas. Foram instalados carrinhos e cestas fabricados a partir de garrafas PET (material reciclado que economiza petróleo bruto). A coleta seletiva é incentivada através da instalação de lixeira de materiais selecionados. Além disso, os clientes e funcionários da loja de Vila Nova Conceição podem economizar combustível e levar uma vida saudável: é só ir até a loja de bicicleta e deixar em um dos guardadores!

E aí, gostou da ideia de criar uma arquitetura sustentável na sua casa? Busque soluções para economizar material, energia e dinheiro e depois conte para nós. O meio ambiente agradece!

Você sabe o que é lixo eletrônico?

Postado por: Mundo Verde em 20 de agosto de 2010

Tudo o que consumimos gera resíduos, e com a tecnologia não é diferente. A cada ano surgem aparelhos de celular mais modernos, computadores mais eficientes, TVs maiores. E para onde vão nossos antigos equipamentos elétricos e eletrônicos? Para o lixo, na maior parte das vezes, sem receber tratamento específico.

O lixo eletrônico é um grande problema no mundo e principalmente nos países em desenvolvimento. De acordo com matéria publicada no Estadão, o Brasil é o maior produtor de lixo eletrônico entre os países emergentes. Esta situação é muito grave, pois o lixo eletrônico possui componentes tóxicos que podem contaminar o solo e a água, causando danos à saúde das pessoas.

Antes de jogar fora nossos aparelhos elétricos e eletrônicos, vamos refletir sobre o destino que eles tomarão. O Blog Mundo Verde preparou algumas dicas para ajudá-lo nessa tarefa. Confira:

- Aquele aparelho não é mais útil para você? Verifique se ele não possui utilidade para amigos, familiares ou instituições filantrópicas antes de jogá-lo fora. Doá-lo pode ser a melhor alternativa, mas só doe para quem você sabe que irá realmente usar.

- O Comitê para Democratização da Informática (CDI) é uma ong que trabalha com a inclusão digital em todo o Brasil. Eles recebem doações de computadores e equipamentos usados. Consulte o site da instituição para saber se existe um CDI em sua cidade. Mesmo que não exista, procure ongs semelhantes para saber se seu computador pode ser doado antes de jogá-lo fora.

- Verifique se sua cidade possui pontos de coleta seletiva, onde é possível descartar pilhas e baterias.

- Alguns fabricantes de celular recolhem aparelhos e baterias antigas, que são encaminhados para a reciclagem. Ligue para o fabricante do seu aparelho para saber do ponto de coleta mais próximo. Consulte também a sua operadora de celular, que também pode ter pontos de coleta.

- O Blog Lixo Eletrônico lista alguns postos de coleta em grandes cidades. Os moradores de São Paulo podem consultar também o site da Secretaria de Meio Ambiente da cidade.

Mesmo que você não more em uma grande cidade, podem existir iniciativas de reciclagem e coleta de lixo eletrônico na sua região. Pesquise e divulgue essas iniciativas para seus amigos. Vamos colaborar para um mundo mais saudável e sem poluição!

Você conhece os selos de Certificação Ecológica?

Postado por: Mundo Verde em 29 de janeiro de 2010

Recebemos da fundadora da Rede Mundo Verde, Isabel Antunes Joffe, uma dica de leitura sobre os selos de ceritificação ecológica.

O material completo pode ser acessado no Blog Ecodesenvolvimento. Reproduzimos aqui algumas partes para que vocês conheçam mais os diferentes tipos de selos e quais critérios de responsabilidade social e ambiental são avaliados para que um bem ou produto seja considerado “verde”.

ECOCERT: certifica produtos e serviços vegetarianos, produtos orgânicos e insumos.

O critério básico para receber o selo é um mínimo de 95% de ingredientes orgânicos nos alimentos processados, já para ser garantido como um cosmético orgânico, o produto deve ter ao menos 95% de ingredientes vegetais e 95% destes ingredientes devem ser orgânicos certificados – no caso de cosméticos naturais, 50% dos insumos vegetais devem ser orgânicos. A certificação também pondera o comércio justo, o bem estar animal e a responsabilidade da empresa com o social e o meio ambiente.

________________________________

FSC – Forest Stewardship Council: certifica empreendimento ou produto florestal.

Verifica os cumprimentos de questões ambientais, econômicas e sociais em torno do produto. Por exemplo, se a sua origem do produto é um processo produtivo ecológica e socialmente responsável, se ele obedece às leis ambientais, se respeita os direitos dos povos indígenas e tem regularização fundiária.

________________________________

IBD – Instituto Biodinâmico: certifica Produtos de limpeza, cosméticos, alimentos e algodão orgânico.

A empresa brasileira desenvolve atividades de inspeção e certificação agropecuária, de processamento e de produtos extrativistas, orgânicos, biodinâmicos e de mercado justo (Fair Trade), além disso, a certificação sugere que a fabricação daquele produto obedece ao Código Florestal Brasileiro e às leis trabalhistas. Os produtos industrializados devem ter ao menos 95% de ingredientes orgânicos certificados – a água e o sal são desconsiderados nesse cálculo, tanto para cosméticos quanto para alimentos.

________________________________

LEED – Liderança em Energia e Design Ambiental: certifica edificações e construções.

O LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) é um sistema que estipula padrões para a construção civil se adequar à construção sustentável. O objetivo é incorporar e acelerar o uso de práticas benéficas tanto para a sociedade como para o meio ambiente em escala mundial. Desenvolvida pela consultora norte-americana USGBC (U. S. Green Building Council), a certificação sofre criticas por basear sua avaliação em projeções de consumo da construção, e não em dados reais.

________________________________

IMAFLORA – Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola: certifica produtos agrícolas como frutas, café, cacau e chás.

Através do seu programa de certificação agrícola, o instituto é o representante brasileiro da Rede de Agricultura Sustentável (RAS) ou Sustainable Agriculture Network (SAN), que define critérios de desempenho ambiental, social e econômico para avaliar a produção agrícola – se os produtores respeitam a biodiversidade e os trabalhadores rurais envolvidos no processo.

________________________________

PROCEL: certifica equipamentos eletrônicos e eletrodomésticos.

O selo Procel tem por objetivo indicar os produtos que apresentam os melhores níveis de eficiência energética dentro de cada categoria, proporcionando assim a redução do consumo de energia elétrica. No processo de concessão do Selo Procel, a Eletrobrás conta com a parceria do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial – Inmetro, executor do Programa Brasileiro de Etiquetagem-PBE, cujo principal produto é a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia –ENCE.

________________________________

USDA – United States Department of Agriculture: certifica produção vegetal/animal ou projetos de extrativismo ou comercialização.

A certificação avalia se a produção ou o manejo está em conformidade com a Lei de Produção de Alimentos Orgânicos, estabelecida no território estadunidense. Apesar de ter em sua determinação algumas brechas (como a permissão de 20% da alimentação dos animais ser de fontes não orgânicas), a lei vigora o respeito critérios do plantio, como uma lista nacional de substâncias sintéticas aprovadas e regras para a importação de produtos equivalentes.

________________________________

Além de localizar esses selos nos produtos e bens que você consome, fique atento também às dicas de leitura de rótulos nutricionais, para saber se o alimento consumido está dentro dos padrões de nutrição necessários para uma vida saudável.

Pratique um consumo consciente!

Água: evitar o desperdício para o bem do planeta

Postado por: Mundo Verde em 18 de novembro de 2009

Com a chegada das altas temperaturas e o verão que se aproxima existe um bem importantíssimo do nosso planeta que ganha papel central: a água. No calor do dia-a-dia, nada como uma garrafa de água gelada para hidratar. Bom também é chegar em casa e tomar uma ducha refrescante, ou aproveitar um banho de piscina no fim de semana. Mas é preciso estar alerta para os abusos no uso da água.

lavar rosto

Você também é responsável pela água do planeta.

A má utilização e o consumo descontrolado da água levam a população mundial a encarar a terrível previsão de escassez desse bem em anos futuros. Isso sem falar da impossibilidade de utilização da água nas indústrias, na agricultura… Pare para pensar por um instante e verá que praticamente tudo o que fazemos, em todos os âmbitos da vida, precisa de certa quantidade de água. Ela é responsável pelo equilíbrio dos ecossistemas e pela sobrevivência de todas as espécies de seres vivos do planeta.

O Dia Mundial da Água é celebrado em 22 de março e no ano de 2005 a Organização das Nações Unidas (ONU) iniciou oficialmente a Década Internacional de Ação “Água para a Vida, 2005-2015”. Um resumo do documento “Movimento Gaia” pode ser visto aqui. O ano de 2009 já está no fim e o tempo passa rápido. Será que conseguiremos atingir as metas de redução do consumo?

Inspirados pelo Concurso Cultural “Declare seu Amor, nós do Blog Mundo Verde decidimos reunir algumas informações que podem ajudar você a iniciar uma rotina de consumo consciente dá água.

No portal Rede das Águas há uma lista com dez dicas para o uso social da água:

  1. No banho: Abra o chuveiro apenas para se molhar e enxaguar. Enquanto estiver se ensaboando, deixe o chuveiro desligado. O consumo cairá de 180 para 48 litros e a diminuição no consumo de energia elétrica também será visível. Banhos rápidos são sempre recomendados. Evite banhos de banheira, que podem gastar até 200 litros de água!
  2. Ao escovar os dentes: encha um copo de água e utilize  essa quantidade para enxaguar a boca. Assim você economiza cerca de 3 litros de água que iriam ralo abaixo com a torneira aberta.
  3. Na descarga: Verifique se a válvula não está com defeito, aperte-a uma única vez e não jogue lixo e restos de comida no vaso sanitário.
  4. Na torneira: Uma torneira aberta gasta de 12 a 20 litros/minuto. Pingando, 46 litros/dia. Isto significa 1.380 litros por mês. Feche bem as torneiras.
  5. Vazamentos: Um buraco de 2 milímetros no encanamento desperdiça cerca de 3 caixas d’água de mil litros.
  6. Na caixa d’água: Não a deixe transbordar e mantenha-a tampada.
  7. Na lavagem de louças: Lavar louças com a torneira aberta, o tempo todo, desperdiça até 105 litros. Ensaboe a louça com a torneira fechada e depois enxágüe tudo de uma vez. Na máquina de lavar são gastos 40 litros. Utilize-a somente quando estiver cheio.
  8. Regar jardins e plantas: No inverno, a rega pode ser feita dia sim, dia não, pela manhã ou à noite. No verão, use mangueira com esguicho-revólver ou regador. Nunca deixe a torneira aberta com a água vazando pela mangueira.
  9. Lavar carro: Com uma mangueira gasta 600 litros de água. Só lave o carro uma vez por mês, com balde de 10 litros, para ensaboar e enxaguar. Para isso, use a água da sobra da máquina lavar roupa.
  10. Na limpeza de quintal e calçada: USE VASSOURA – Se precisar utilize a água que sai do enxágüe da máquina de lavar.

O site do Instituto Akatu possui um fórum com dicas de internautas para a reutilização da água em casa. Vale a visita, e queremos iniciar também uma reflexão aqui no Blog Mundo Verde:

Quais são as SUAS dicas de diminuição do consumo e reutilização da água no dia-a-dia? Compartilhe com a gente a sua idéia e ajude-nos a declarar nosso amor pelo mundo!

Sites com mais informações sobre o consumo inteligente de água:

Aproveite para se inspirar nesse tema e mandar sua foto e frase de declaração ao Mundo para o Concurso Cultural “Declare seu amor”!

Mundo da Moda Verde

Postado por: Mundo Verde em 26 de agosto de 2009

Na segunda parte do artigo de Isabela Antunes Joffe (leia aqui) conhecemos um pouco sobre as características de cada tipo de tecido alternativo ou sustentável para a produção de peças do vestuário.

Comprar sem esquecer de ser verde é uma atitude consciente

Comprar sem esquecer de ser verde é uma atitude consciente

Na parte final do artigo, Isabela destaca a importância da conscientização individual e da mudança de postura sobre a moda.

É possível produzir roupas tanto usando substâncias alternativas quanto nocivas à saúde. Mas o que realmente importa é uma nova postura,  promovendo a visibilidade do uso intensivo da natureza de forma manejada, com respeito e nobreza de espírito e ainda comprometida com o verde do nosso mundo! Consumir com consciência, doar, reciclar e reaproveitar.

A moda é passageira, mas o ato de vestir é constante, diário e transformador. Afinal de contas, chique é Ser Consciente!

As escolhas são muitas. Ser consciente é uma delas.

As escolhas são muitas. Ser consciente é uma delas.

Os tecidos devem cumprir a regulamentação estipulada pela associação de comércio de orgânicos da sua região ou por órgão regulador, no que diz respeito à produção, ao tingimento e ao manuseio das fibras. É importante que exibam seu certificado nas embalagens. Entre suas matérias-primas devem estar tecidos reciclados ou reutilizados, tecidos em algodão orgânico, couros alternativos, fibras naturais, tecelagem natural e látex natural da Amazônia.

Alerta dos especialistas

Nem sempre as roupas feitas de fibras alternativas podem ser consideradas “produtos sustentáveis”. Se o cultivo implicar em derrubada de florestas, envolver mão-de-obra infantil, explorar os trabalhadores (como acontece na indústria têxtil, especialmente na China), gerar desperdício, ou exigir muito combustível no transporte, os danos ambientais e sociais anulam os benefícios.

Por isso a sustentabilidade deve estar no processo de produção e consumo como um todo e não somente focado na seleção da matéria-prima.

Fique atento: tecidos orgânciso nem sempre são garantia de moda sustentável.

Fique atento: tecidos orgânicos nem sempre são garantia de moda sustentável.

Os tecidos orgânicos e sustentáveis podem requerer cuidado especial. Leia sempre as instruções de lavagem na etiqueta de cada produto. Embora muitos tecidos possam ser lavados a máquina, alguns requerem lavagem a mão. Utilize detergentes livres de fosfato e biodegradáveis e seque as roupas no varal para reduzir o consumo de energia.

Toda nação deve legislar em favor da natureza, dos animais e do meio-ambiente.

Para saber mais sobre esse assunto, dê uma olhada nos sites que Isabela utilizou como fonte de pesquisa para a redação do artigo (os três primeiros em inglês):


Este post faz parte da Blogagem Coletiva Meu Consumo é Consciente e incentiva a compra de artigos de moda sustentáveis e o consumo responsável. Antes de se entregar a uma liquidação e comprar sem pensar, reflita sobre os impactos do excesso de consumo no mundo, seja curioso, descubra de onde chegam os tecidos que você veste, quem são os trabalhadores das suas lojas preferidas e faça da Moda Verde seu jeito de ser chique e consciente!