3 de March de 2015

Transporte é responsável por 35% da energia no Brasil

Postado por: Mundo Verde em 26 de fevereiro de 2015

Além da falta de água em nossas torneiras, outro fator preocupante é o relacionado ao consumo de energia de todas as fontes (eletricidade, gasolina, gás, biomassa). Segundo cálculos da Empresa de Pesquisa Energética, ligada ao Ministério das Minas e Energia, esse consumo vai mais que dobrar no Brasil até 2050.

Dados da Agência Internacional de Energia mostram que 35% da energia no Brasil é destinada ao transporte. Isso acontece porque o perfil do consumo brasileiro é resultado da adoção de um modelo que privilegia os veículos automotores e deixa de lado o transporte por ferrovias ou hidrovias.

Para não sofrermos com o colapso do sistema energético, assim como ocorre com o abastecimento de água, é preciso mais investimento por parte dos governos. Construção de ferrovias e hidrovias deveria entrar na pauta para cortar o custo de logística e também ser um objetivo das políticas nacionais de energia e sustentabilidade.

Você pode fazer a sua parte com informação e atitude sustentável. Os pequenos passos certamente contribuem para reverter o quadro. Informe-se sobre as propostas e ações de políticos nessa área e modifique alguns hábitos que ajudem a reduzir o consumo de energia em casa ou no trabalho.

 

Fonte: Planeta Sustentável

Limpa a casa todo dia, que alegria… Só que não!

Postado por: Mundo Verde em 24 de fevereiro de 2015

Para economizar, garantir uma casa limpa e ainda ficar livre de produtos tóxicos recomendamos seguir uma receita caseira de um bom limpador multiuso:

Misture uma colher de bicarbonato de sódio e algumas gotas de óleo de eucalipto ou de citronela (que ainda funciona como repelente de insetos). Feito isso, é só embeber um pano na solução e passar no piso, nos azulejos, nos metais e louças do banheiro, onde quiser.

Como não é prejudicial à saúde, não é preciso usar luvas nem máscaras.

Pense, se você usa produtos químicos pesados, certamente está poluindo algum curso d’água. As opções caseiras são mais leves e mais baratas do que as versões da indústria.

Quanto mais naturais forem nossas escolhas, menos poluentes estaremos ingerindo e despejando na terra e na água. A natureza nos dá tudo. É só sabermos usar.

Fonte: Planeta Sustentável

Deixe sua bike completa antes de levá-la ao trabalho

Postado por: Mundo Verde em 20 de fevereiro de 2015

A mobilidade nas grandes cidades sempre foi um desafio para os governos, principalmente no Brasil. Ônibus, trens, metrôs, carros e taxis já não dão conta da demanda e um novo meio vem ganhando destaque: a bicicleta.

Mais do que uma opção de lazer, já é possível perceber o incentivo para que ela seja tratada como meio de transporte. Mas se aventurar pelas ruas das cidades ainda é um desafio e é preciso estar preparado para enfrentá-lo.

Hoje, segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), os profissionais que vivem em regiões metropolitanas gastam, em média, 41 minutos para ir de casa até o trabalho. Adotar a bicicleta para trabalhar significa ter mais tempo, mais dinheiro, mais saúde e mais produtividade. Resumindo, mais qualidade de vida.

Antes de montar sua bike, conheça os itens essenciais para pedalar com mais segurança e conforto:

Para-lamas: fundamentais para quem não quer se sujar, pois evitam que a água e a poeira atinjam o rosto, as costas e o bagageiro. Verifique se o modelo escolhido comporta para-lamas.

Selim: para o uso na cidade, quando as distâncias não são longas, o melhor é o largo – bom para ruas pavimentadas. Os iniciantes devem procurar um selim com amortecedor.

Espelho: para encarar as ruas da cidade, o espelho é importante por evitar que o ciclista tenha de se virar o tempo todo para ver o que está acontecendo. Os que costumam vir de fábrica são pequenos demais, recomenda-se procurar em lojas especializadas.

Guidão: deve ser escolhido segundo a largura dos ombros; se for estreito, causa compressão do diafragma e insuficiência respiratória. Um guidão mais alto garante postura ereta, que ajuda a enxergar melhor o trajeto dos obstáculos.

Câmbio: as marchas facilitam a vida do ciclista. Para deslocamentos urbanos, uma bike com 21 marchas é suficiente.

Buzina: para chamar a atenção de pedestres e de outros ciclistas. As mais audíveis têm o som de um sininho estridente.

Iluminação: é indispensável para quem pedala à noite. Quanto mais luz, na traseira e na dianteira, maior a chance de ser visto por outros motoristas e menor o risco de se acidentar.

Bagageiro: o bagageiro e o alforje ficam em cima da roda traseira e uma cestinha pode ser encaixada no guidão. Escolha modelos leves e de fácil engate. Esses itens evitam que o ciclista precise pedalar carregando uma mochila, que pode aumentar a transpiração e causar dores nas costas.

Protetor de Corrente: evita que a calça se prenda e se suje na corrente. Mas esse problema pode ser resolvido com um jeitinho: dobrar a calça ou amarrá-la com uma fita para que fique justa na perna.

Pneus: para a cidade, o ideal são os modelos mais finos, de 1 a 1,5 polegadas. Prefira os lisos – pneus com cravos foram criados para mountain bike e geram muito atrito com o asfalto. O melhor é uma bicicleta que tenha aro 27,5, aro 700 ou aro 28, rodas que dão mais conforto. Vale pensar em uma bike com amortecedor: a suspensão dianteira ajuda a subir e descer calçadas e diminui o impacto causado no corpo por buracos e imperfeições do terreno.

 

Fonte: Planeta Sustentável

Idosos precisam se hidratar mais

Postado por: Mundo Verde em 18 de fevereiro de 2015

O que pode ser pior, ficar em energia elétrica ou não ter água? Difícil responder. As duas coisas são essenciais, mas a água é vital. Não é para menos, ao nascermos, 90% do nosso corpo é constituído de água! Na adolescência, isso cai para 70%. Na fase adulta, para 60%. Na terceira idade, que começa aos 60 anos, a água representa pouco mais de 50% de água.

Essa diminuição faz parte do processo natural de envelhecimento, os idosos têm menos reserva hídrica e, mesmo desidratados, eles não sentem vontade de tomar água, pois seus mecanismos de equilíbrio interno já não funcionam bem.

Assim, a detecção de falta de água corporal e a percepção da sede ficam prejudicadas. E pouca água significa menor quantidade de sangue, de oxigênio e de sais minerais nas artérias e veias; se não houver reposição adequada, é desidratação na certa.

Deixamos um alerta para vovós e vovôs e seus familiares: tornem voluntário o hábito de beber líquidos. Bebam toda vez que houver uma oportunidade. Pode ser água, sucos, chás, água-de-coco, vitaminas, sopas, frutas ricas em água, etc. Faça-o a cada duas horas.

Se tiverem idosos em casa, ofereçam-lhes constantemente líquidos. Ao perceber que estão rejeitando líquidos, ficam confusos, irritadiços, fora do ar, atenção. Pode ser sinal de desidratação.

Bebeu água? Então corra já para se hidratar!

 

Fonte: Somos Todos Um

Por um Carnaval com menos xixi na rua

Postado por: Mundo Verde em 13 de fevereiro de 2015

Você gosta de ter a casa limpa? Todos nós, né? E as ruas deveriam ser a extensão de nossas casas, com relação à segurança e limpeza.

Desde o dia 28 de janeiro uma lei começou a vigorar em Salvador, em que pune com multa quem jogar lixo ou fizer xixi na rua. Durante sessenta dias antes do início da lei, foram feitas campanhas educativas.

Mas agora é para valer. As multas variam de R$ 67,23 a R$ 1.008,45. Nos dois primeiros dias, foram punidas 27 pessoas. Porém, por causa do Carnaval, a companhia de limpeza urbana, Limpurb, chegou a declarar que seria dada uma trégua na lei nos circuitos dos trios elétricos e dos blocos, para não colocar em risco a integridade física dos fiscais. Mas sob críticas, a prefeitura voltou atrás.

A sujeira acumulada nas ruas de Salvador custa, por dia, aproximadamente R$ 1 milhão aos cofres públicos. E os custos aumentam significativamente por causa das festas populares.

Apesar de os foliões brasileiros e estrangeiros deixarem bastante dinheiro para a cidade, também deixam um rastro de sujeira.

No ano passado, até a segunda-feira, haviam sido recolhidas mais de 10 toneladas de material reciclável. E nas guias das calçadas, durante as festas, correm rios de xixi. E não é exagero, não. A Limpurb estima que no Carnaval sejam produzidos cerca de 16 milhões de litros de xixi! Além do cheiro, a acidez do xixi danifica equipamentos públicos.

No ano passado, 2,5 mil banheiros públicos foram instalados. Neste ano, serão 5 mil. Mas será que é suficiente?

O primeiro passo para a conscientização é conhecer os dados sobre a quantidade de lixo que produzimos e como isso afeta o meio-ambiente e o nosso bolso. Além de ser uma tristeza saber que a folia termina assim.

Pense nisso e parta para ação, tentando ser mais responsável no que se refere ao comportamento nos ambientes públicos.

Bom carnaval!!

 

Fonte: Folha de S. Paulo

 

Tenha boas atitudes para não desistir nunca

Postado por: Mundo Verde em 11 de fevereiro de 2015

2015 ainda está engatinhando, o carnaval está chegando, as contas para pagar, as dificuldades do dia-a-dia aparecem e de repente você percebe que nada saiu do lugar. Está na hora de rever seus pensamentos, ainda dá tempo de colocar tudo nos trilhos. Tente seguir alguns passos básicos para não lamentar pelo tempo perdido depois.

Cheque suas metas. Tenha certeza do que gosta e do que quer. A partir daí, reveja as metas que criou anteriormente e selecione aquelas que realmente vão te satisfazer. Autoconhecimento também ajuda a estabelecer limites realistas: até onde posso ir e me sacrificar?

Exercite a disciplina. Para manter o pique e o foco é necessário ter disciplina. E essa capacidade será ainda mais decisiva se o objetivo for de longo prazo. Para realizá-la, a dica é: crie um mural, guarde notas no celular, formule um plano estratégico. Aos poucos, seu corpo e sua mente vão se acostumar com a nova rotina, sem depender tanto das anotações.

Dê atenção a pensamentos negativos. Eles até podem ser positivos, pois representam um alerta para obstáculos. É saudável considerar os avisos realistas e construtivos para evitar um desastre. Então, não fuja, encare-os.

Respeite o tempo do processo. Tudo tem sua hora. Faça uma estimativa – aproximada, mas realista – do tempo que levará cada etapa. O planejamento vai ajudar a controlar a ansiedade e lidar melhor com as adversidades. Se houver algum problema, fique calmo, volte ao ponto inicial e ajuste.

Faça a mesma coisa de um jeito diferente. Se por algum motivo as coisas não estiverem saindo como o planejado, repense sua tática. Tente encontrar novas saídas e soluções, isso pode fortalecer seu ânimo e até mesmo tornar seu objetivo mais fácil de alcançar. Não tenha medo, é normal alterar rotas.

Fonte: M de Mulher

 

Detox Digital para renovar as energias

Postado por: Mundo Verde em 9 de fevereiro de 2015

Mais do que imaginar um mundo sem tecnologia, já imaginou um mundo sem internet?

Estar conectado o tempo todo é uma realidade. Parece até que nossa vida gira em torno do smartphone, tablet e notebook. Quando não estamos ligados em um, estamos em outro, ou em todos ao mesmo tempo. É comum conversar com quem está longe, checar e-mails em qualquer lugar, dividir com amigos as experiências do fim de semana, fazer compras, comentar na rede os programas de TV ao vivo, etc. É tudo muito fácil, e nem lembramos mais como era nossa vida antes dela existir! Como sobrevivemos por tanto tempo assim?

Mas vamos recordar um pouco. Será que estamos perdendo alguma coisa?

Fazer bagunça com as crianças, ler um livro, papear com as amigas cara a cara, curtir um jantar romântico… Mas com uma diferença: sem checar e-mails e mensagens a cada dois minutos.

Dá sim para aproveitar a vida off-line! Porém você precisa estar a fim, do mesmo jeito quando se propõe a começar uma dieta ou um novo treino na academia. Deixamos aqui algumas dicas:

  1. O passo inicial: é preciso querer.
  2. Seja organizado e tenha disciplina. Se for sair com a família, tire uns minutinhos antes de sair de casa para checar e-mails e se atualizar para aproveitar o tempo que estiver com o pessoal à mesa.
  3. Adeus, barulhinhos chatos! Tente desconfigurar as notificações sonoras do celular. Quando ativadas, elas distraem e deixam a gente mais ansiosa.
  4. Tenha um cúmplice! Sugira a uma amiga, namorado ou marido para fazer o detox digital com você. Um ajuda o outro e fica mais fácil.
  5. O segredo é variar. Faça outras coisas, encontre outras formas de entretenimento. Leia um livro, faça uma caminhada, vá ao cinema, ao teatro…

Além de permitir viver momentos com mais qualidade, ajudará a reduzir a ansiedade, melhorando a concentração em suas tarefas. Experimente o Detox Digital!

 

Fonte: M de Mulher

 

Antártida está derretendo mais rápido que nunca

Postado por: Mundo Verde em 6 de fevereiro de 2015

Enquanto vivemos tempos de seca em muitas regiões no Brasil, outros fenômenos naturais ocorrem em diferentes partes do globo.

Um estudo da Nasa, Agência Espacial dos Estados Unidos, confirmou que a Antártida está derretendo mais rápido a cada ano. Descobriu-se que o continente perde 159 bilhões de toneladas de gelo por ano e a velocidade desse derretimento só aumenta. Se antes 6 bilhões de toneladas derretiam por ano, hoje é mais que o dobro, chegando a 16 bilhões.

Esse acontecimento é uma fatalidade, pois o gelo do local está sobre as águas, ou seja, ao derreter, o nível dos mares pode aumentar consideravelmente. Se isso ocorrer, os oceanos seriam elevados em cerca de 60 metros, cobrindo a região costeira de todo o mundo.

Espécies de animais, principalmente marinhos, também estariam ameaçadas, pois com a diferença dos níveis de água nos mares e a modificação de temperatura, aquelas que não se adaptarem às mudanças morrerão.

Cientistas, ambientalistas e estudiosos afirmam que o derretimento é um fato que merece muita atenção, pois é um processo lento, gradativo, pode ser sentido pouco agora, mas que, com certeza, terá um grande impacto para as futuras gerações.

Cada atitude favorável ao planeta será uma gota a mais de esperança e prosperidade. Vamos cuidar mais dele?

Fonte: Pensamento Verde

Menstruação – o último tabu das mulheres esportistas ou não

Postado por: Mundo Verde em 4 de fevereiro de 2015

No Aberto de Tênis da Austrália, a britânica Heather Watson admitiu que não se sentiu bem durante a partida, ao comentar sua derrota.

“Acho que é apenas umas dessas coisas que eu sinto, coisas de menina”, disse Watson a uma emissora de TV local.

A jogadora de 22 anos contou que sentiu tontura, náusea e falta de energia na partida, que perdeu por 6-4 e 6-0 para a búlgara Tsvetana Pironkova.

Ela declarou que as mulheres “sofrem em silêncio”.

A ex-atleta Annabel Croft descreveu os comentários de Watson como “corajosos”, as mulheres “se identificam totalmente” com esses sintomas. “Os problemas mensais das mulheres são um dos temas que são varridos para baixo do tapete, um grande segredo. Para as mulheres, ter de lidar com eles já é difícil o bastante, mas tentar jogar um esporte de alto nível em um dos momentos mais cruciais do calendário (esportivo) é uma falta de sorte”, afirmou Annabel.

“Acho que as mulheres sofrem em silêncio quanto a isso. É um tema que sempre foi tabu”.

Isso acontece com atletas de alto performance, mas também no dia a dia das mulheres comuns.

Muitas vezes as mulheres são cobradas por grande produtividade no trabalho, elas lutaram muito pela igualdade de direito, mas fisicamente, há algumas diferenças. A menstruação é um fenômeno que acontece todo mês e pode mudar drasticamente o comportamento de uma profissional, deixando-a mais irritadiça, deprimida, ansiosa ou com menos concentração nas tarefas.

Mas o que fazer para minimizar esses sintomas tão desagradáveis? Confira algumas dicas:

  1. Mantenha uma alimentação saudável e equilibrada, ingerindo todos os nutrientes necessários e sem pular refeições.
  2. Pratique exercícios físicos com frequência, isso colabora para a redução do fluxo menstrual e de possíveis processos inflamatórios, graças à liberação da endorfina, hormônio que gera a sensação de satisfação.
  3. Uma técnica antiga, simples e eficiente é colocar uma bolsa de água quente na região pélvica quando a cólica começar a dar sinais de que está vindo. O calor dilata os vasos sanguíneos, relaxando e diminuindo a dor.
  4. Se as cólicas menstruais persistirem e se mostrarem severas procure seu ginecologista, apenas um especialista pode diagnosticar a causa da dor e receitar melhor o tratamento.

 

Fonte: BBC Brasil

 

Algas cultivadas no esgoto geram biodiesel e água

Postado por: Mundo Verde em 2 de fevereiro de 2015

Você sabia que as algas marinhas estão na lista dos dez alimentos mais saudáveis do mundo? Além disso, possuem grande potencial para geração de energia e tratamento de água.

Uma empresa em Nevada (EUA) encontrou uma forma de transformar o combustível fornecido por algas em algo palpável e lucrativo por ser 2 em 1. Os pesquisadores dizem que é possível produzir tanto biocombustível quanto água potável utilizando o esgoto.

Funciona assim: as algas são cultivadas no esgoto para servirem como filtro e os resíduos de carbono funcionam como fertilizantes. Por meio de uma “liquefação hidrotermal”, as algas e outros sólidos encontrados no esgoto são aquecidos e geram um líquido semelhante ao petróleo. Ao adicionar hidrogênio, o combustível diesel é produzido.

Estações de tratamento convencionais produzem grandes quantidades de gases de efeito estufa. E a vantagem de usar algas é que elas consomem todo o CO2 liberado no processo.

A ideia é muito boa, mas ainda não houve investimento suficiente para que a tecnologia já possa ser usada em larga escala no mercado.

No entanto, além de ser uma alternativa às fontes de energia fósseis, o processo remove mais carbono da atmosfera do que causa quando o combustível é queimado, ajudando a amenizar os problemas climáticos e a falta de água também.

Fonte: Eco4Planet